Acusado de matar esposa na frente das filhas vai a júri popular hoje

Foto: Reprodução
Yessica Del Carmen Vidal Lopes, na época com 27 anos, morreu após ser atacada com 17 facadas, em abril de 2021. Caso seja condenado à pena máxima, a sentença do homem pode chegar a 45 anos de prisão. Ele foi acusado de feminicídio e homicídio.
Fonte: G1
Por:
Categoria: Extremo Norte TV

O Tribunal do Júri se reúne na manhã desta terça-feira (8), Dia Internacional da Mulher, para julgar o ajudante de pedreiro Jackson Jose Garcia Rodriguez. Ele é acusado de matar a companheira, Yessica Del Carmen Vidal Lopes, de 27 anos, na frente das quatro filhas do casal, em Boa Vista.

O crime aconteceu em abril do ano passado, no bairro Bela Vista, zona Oeste da capital. Armado com um terçado, Jackson matou a mulher com 17 facadas, depois de uma discussão, devido a uma suposta traição da vítima.

O Ministério Público de Roraima pediu que ele seja condenado por homicídio qualificado e feminicídio.

Homicídio porque o crime foi praticado por motivo torpe, com emprego de meio cruel, utilizando recurso que dificultou a defesa da vítima, além de ter ocorrido na presença das próprias filhas e feminicídio por conta do contexto familiar que envolvia a vítima e o réu.

“Por razões da condição de sexo feminino, haja vista o âmbito da violência doméstica e familiar contra sua companheira”, explicou o MPRR. Caso seja condenado à pena máxima, a sentença pode chegar a 45 anos de reclusão.

À época do crime, a Polícia Militar informou que a vítima teve ferimentos no tórax e na cabeça, e chegou a ser socorrida por uma vizinha.

Yessica foi internada no Hospital Geral de Roraima (HGR), mas não resistiu e morreu um dia após ter sido gravemente ferida. A PM realizou diligências e encontrou o homem, em uma área de chácaras, no bairro Operário.

Na avaliação do MPRR, o fato de o julgamento ocorrer no Dia Internacional da Mulher chama atenção para o quadro preocupante da violência praticada contra a mulher no Brasil.

Até o primeiro semestre de 2021, o país registrou 26.709 casos de estupro e 1.350 casos de feminicídio durante todo o ano passado, conforme dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.