Agentes de combate a endemias vão iniciar greve na quarta-feira

Foto: Reprodução
Uma das reivindicações da classe é o cumprimento da lei que garante gratificação no Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde (PQAVS), com percentual de 80% para rateio entre os trabalhadores. Prefeitura ainda não comentou o assunto
Fonte: Folha BV
Por:
Categoria: Roraima

Os agentes de combate a endemias, da Prefeitura de Boa Vista, vão entrar em greve por tempo indeterminado, a partir da próxima quarta-feira (13), em frente ao Palácio 9 de Julho.

Presidente do Sindacse-RR (Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate às Endemias do Estado de Roraima), Flaviney Almeida destacou que uma das reivindicações é o cumprimento da lei municipal que garante a gratificação no Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde (PQAVS), com percentual de 80% para rateio entre os trabalhadores. “Mas temos outras exigências, como uma data de pagamento do PQAVS referente a 2020”, ressaltou.

O sindicalista pontuou outras reivindicações, como: abono de falta no período da greve; seletivo público para contratação de mais agentes; condições de trabalho nas ações do PQAVS realizadas aos sábados, com ponto de apoio logístico, com disponibilidade de água e lanches, vale-transporte e uma diária de R$ 120; implementação com participação do sindicato na construção da portaria do PQAVS (número 158/2015); além de um cronograma de folgas para os profissionais.

O movimento grevista foi decidido no sábado (9), durante assembleia geral realizada na sede do Sindacse-RR, no bairro Caimbé. No encontro, o sindicato ainda constituiu, conforme prevê o próprio estatuto, uma comissão de negociação que vai participar de uma reunião convocada pela Prefeitura para essa terça-feira (12), às 15h, na Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

“Estive na Semsa, conversei e quero poder evitar essa manifestação”, ressaltou o vereador Ítalo Otávio (Republicanos), esclarecendo que tem sido um intermediário entre categorias de trabalhadores e o Executivo municipal, na tentativa de se chegar a um acordo nas várias lutas de profissionais que buscam por seus direitos.

Procurada, a Prefeitura não comentou o assunto até a publicação da reportagem.