Alto índice de desmatamento ao redor da Terra Indígena Waimiri Atroari em RR

Foto: Roraima em Tempo
Dados são do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon)
Por:
Categoria: Roraima
Moradia do povo Waimiri-Atroari, no Amazonas. (Foto: EBC)

O desmatamento ilegal cresceu ao redor da Terra Indígena Waimiri Atroari em Roraima, na divisa com o estado do Amazonas. Os dados são do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Conforme o estudo há 12km² de área devastada em torno da região.

Dessa forma, o levantamento indica que a terra indígena teve ocorrências de desmatamento recentemente entre novembro e dezembro de 2021. Por isso, a região precisa de atenção especial dos órgãos de proteção.

“Agir antecipadamente pode impedir que esses territórios apareçam neste ano como os mais ameaçados. Em um cenário ainda pior, como os mais desmatados”, alerta Larissa Amorim, pesquisadora do Imazon.

Além da Terra Indígena no estado, outros territórios também estão ameaçados, conforme o Imazon. Na comparação do ranking de dois meses com os dados gerais, metade das terras mais ameaçadas não apareceram na lista. Os territórios ameaçados são:

  • Waimiri Atroari (Amazonas e Roraima);
  • Alto Rio Guamá (Pará);
  • Trombetas/Mapuera (Amazonas, Pará, Roraima);
  • Arara da Volta Grande do Xingu (Pará) e
  • Koatinemo (Pará).

    Estudo sobre desmatamento

    O relatório “Ameaça e pressão de desmatamento em áreas protegidas” do Imazon, tem metodologia que contabiliza o número de “ocorrências” da destruição da floresta dentro ou no entorno desses territórios, e não a área total desmatada.

    Dessa forma, o instituto cruza dados do  Sistema de Alerta do Desmatamento (SAD), monitoramento mensal via imagens de satélites, com células de 100 km² na Amazônia Legal.