Amber Heard é acusada de jogar fezes em cama após briga

Foto: Metrópoles
Ator entrou com o processo contra a ex-mulher depois que ela afirmou ter sido vítima de violência doméstica
Por: Ranyelle Andrade
Categoria: Internacional

Além de sustentar que foi vítima de violência doméstica por parte da atriz Amber Heard, Johnny Depp não economizou ao falar sobre supostos episódios que teriam levado o ex-casal a se separar. Em um deles, o ator diz que a atriz colocou fezes em sua cama após uma briga.

“Minha reação inicial foi rir”, disse, no julgamento da atriz, que é acusada por Johnny de difamação. “Era uma coisa tão fora, tão bizarra e tão grotesca que eu só conseguia rir”, completou o Depp, de acordo com o Insider.

Na sequência, o ator revelou que Amber Heard não assumiu a atidude “Ela tentou culpar os cachorros. Eles são yorkshires pequenos e pesam cerca de 4 kg cada. Eu vivi com aqueles cachorros. Eu peguei o cocô deles. Não foram os cachorros”, defendeu o artista. Ele acredita que os amigos de Amber ajudaram na armadilha, já que ela teria saído com eles para o Coachella no dia anterior.

Entenda

Depp entrou com o processo contra a ex-mulher depois que ela escreveu uma coluna para o Washington Post em dezembro de 2018 na qual se descreveu como uma “figura pública que representa o abuso doméstico”.

A atriz nunca citou o nome de Depp, que ela conheceu no set do filme Diário de um Jornalista Bêbado (2009), mas ele a processou por sugerir que ele fosse um agressor. O ator pede US$ 50 milhões em danos. Heard respondeu entrando com uma ação reivindicando US$ 100 milhões, argumentando ter sofrido “violência física e abuso desenfreados” nas mãos dele.

A advogada de Depp, Camille Vasquez, acusou Heard de fabricar as “falsas alegações” para impulsionar sua carreira à luz do movimento #MeToo, na época. Os advogados de Depp também argumentaram que Heard acrescentou agressão sexual a uma lista de alegações porque ela “entrou em pânico” quando percebeu a “seriedade do que alegou” e não pôde recuar de sua notoriedade como sobrevivente.O ator já perdeu um outro caso de difamação em Londres em novembro de 2020. Ele processou o The Sun por chamá-lo de “espancador de esposa”, mas um juiz descobriu que o jornal provou que o artigo era substancialmente verdadeiro.