Greve de servidores do BC pode interromper transações do PIX

Foto:
Instituição disse reconhecer direito da manifestação dos servidores e acreditar que os mesmos cumprirão com os deveres com a instituição bem como com a sociedade
Fonte: Folha BV
Por:
Categoria: Nacional

Os servidores públicos do Banco Central, que já estão em greve parcial desde 17 de março, avaliam uma possível paralisação total a partir desta sexta-feira (1º). Como consequência, sistemas de pagamento como o de pagamento instantâneo do PIX podem ser afetados.

Em nota do Banco Central, a autoridade monetária reconhece o direito da manifestação dos servidores, e acredita que os mesmos cumprirão com os deveres com a instituição bem como com a sociedade.

Greve parcial

Assim como vem acontecendo desde 17 de março, os servidores estão operando em seus pontos apenas em horários específicos entre 14h e 18h. O movimento realizado pelos servidores tem como objetivo solicitar que o governo adote uma política de reajuste salarial aos servidores do órgão de modo similar ao que foi adotado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) aos policiais.

Consequências de uma paralisação total

Desde o início da paralisação parcial, serviços sob tutela do Banco Central já estão sendo impactados e sofrendo atrasos. A greve parcial não só impactou com um atraso nos serviços de responsabilidade do Banco Central como também impactou as estatísticas mensais, como relatórios de contas externas e contas públicas.

Contudo, caso os servidores venham aderir a uma greve total, o funcionamento do sistema de pagamentos do PIX pode ser comprometido, conforme informou Fábio Faiad, presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal).

Ainda segundo o presidente do Sinal, as transferências instantâneas de valores devem ser impactados com a paralisação, assim como o monitoramento do sistema contra hackers, que será interrompido, permitindo que o PIX possa estar vulnerável a ataques hackers.