Motorista é condenado a 12 anos de prisão por acidente que causou morte de bebê

Foto: Reprodução
Homem era funcionário do gabinete do senador Chico Rodrigues, que o demitiu logo em seguida
Por:
Categoria: Extremo Norte TV

A Justiça condenou o ex-motorista do senador Chico Rodrigues (DEM), Almir Mota Lira, a 12 anos de prisão pelo acidente que causou a morte do bebê de um ano. A sentença é do último dia 30 de março, assinada pelo juiz Claudio Roberto Barbosa de Araújo.

O acidente ocorreu no dia 07 de novembro do ano passado na rotatória da BR-174, localizada no bairro São Vicente. O local é popularmente conhecido como ‘Rotatória do Trevo’.

O homem deve cumprir a sentença inicialmente em regime fechado. Além disso, ele também perdeu o direito de dirigir por dois anos.

Conforme a decisão, o juiz condenou Almir pelo crime de homicídio culposo qualificado. Ou seja, quando o acusado deixa de ter o devido cuidado. Contudo, não assumiu o crime. No caso, o motorista dirigiu embriagado e causou o acidente.

“In casu, a conduta do acusado em trafegar em alta velocidade, após ingerir bebida alcoólica e remédios controlados, evidencia a sua imprudência na direção de veículo automotor, restando demonstrado o nexo causal da conduta e do resultado”, diz trecho da decisão.

O acidente

O acidente ocorreu em novembro do ano passado. À época, a Prefeitura de Boa Vista informou que duas crianças deram entrada no Hospital da Criança. O bebê de apenas um ano teve parada cardíaca e foi a óbito. Já o irmão de sete anos teve ferimentos leves, mas permanecia internado.

Por outro lado, a mãe dos meninos seguiu para o Pronto Socorro Francisco Elesbão. Ela também teve ferimentos leves.

Em contrapartida, a assessoria de Chico Rodrigues divulgou nota e afirmou que Almir pegou o veículo sem autorização. A nota dizia ainda que o homem foi demitido.

De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar (CBM-RR) três veículos se envolveram no acidente. Os militares realizaram o resgate das vítimas que ficaram presas às ferragens.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) atendeu a ocorrência e prendeu o motorista. Ele apresentava sinais de embriaguez.

Conforme a PRF, Almir desacatou e ameaçou os policiais. Os agentes encaminharam o homem à delegacia. No caminho ele se debateu dentro da viatura. Além disso, ao chegar à delegacia o motorista se jogou no chão. Conforme os policiais, com o intuito de forçar a ideia de que foi agredido.

A Polícia Civil o denunciou por homicídio culposo e o Ministério Público deu andamento no processo.