Motoristas de aplicativo e mototaxistas pedem redução de ICMS e do preço da gasolina

Foto:
Manifestantes buscam apoio contra aumento do combustível e pedem ajuda para as classes
Por:
Categoria: Roraima

Motoristas de aplicativo e mototaxistas realizaram uma manifestação pedindo a redução no preço da gasolina e do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Os protestantes se reuniram na tarde dessa segunda-feira (14) na Praça do Centro Cívico, em Boa Vista.

A Petrobras anunciou o aumento de 18% na gasolina e 24,9% no diesel na última quinta-feira (10). O valor está valendo nas refinarias desde o dia 11 deste mês. O preço mais alto registradonos postos de gasolina é de R$ 7,45.

Dessa forma os manifestantes estão colhendo assinaturas e disseram que contam com o apoio da população.

De acordo com o organizador da manifestação, Sander Fonseca, de 45 anos, o encontro de hoje foi o início de um grande movimento onde se uniram contra o valor abusivo dos combustíveis. Ele explicou que os motoristas também pedem a ajuda de empresários, donos de postos de combustíveis, para oferecerem descontos nos abastecimentos para a classe.

“A gente está se unindo, se aglomerando por conta desses preços abusivos da gasolina. A gente está vendo se a gente consegue fechar um convenho com o posto de gasolina para baratear a gasolina para a gente” disse.

Trabalho prejudicado

Conforme o mototaxista Valdo Nazareth, por conta do alto custo da gasolina, os trabalhadores da classe estão sendo prejudicados.

“O preço do combustível está muito alto para a gente trabalhar. Ainda não temos um aplicativo, mas a gente faz o serviço para o povo. Então eu acho que é muito forte para nós”, falou.

Por outro lado, o motorista de aplicativo José Domingos, de 47 anos, destacou que o aumento da gasolina prejudica tanto os motoristas, quanto os passageiros que precisam do serviço.

“Nós, motoristas de aplicativo, com esse preço da gasolina aí fica difícil para a gente trabalhar. Olha, todos nós somos pais de família, tanto nós, motoristas, quanto os passageiros. Todos nós somos trabalhadores, mas fica difícil para ambos os lados. Porque a gente quer subir o preço da gasolina, mas fica difícil também para o trabalhador que utiliza o meio de transporte”, pontuou.

Redução do ICMS

Sander Fonseca, ainda falou sobre a diferença nos valores repassados do ICMS.

“A gente sabe que o preço lá na refinaria é um e quando chega aqui é outro totalmente diferente. A gente sabe que é destrinchado, tem o frete, tem o custo, tem um monte de coisa, mas a gente tem certeza que o governo consegue baixar um pouquinho mais”, contou.

O governador Antonio Denarium (PP) anunciou no dia 9 de fevereiro uma redução de 8% do Imposto sobre o CMS dos combustíveis. Entretanto, a redução será gradativa e se estenderá até 2026 para chegar a essa porcentagem.

Conforme o Projeto de Lei (PL), em 2022 a redução será de apenas 2%. Em seguida, passará a ser de 1,5% por ano. A medida do Governo do Estado ocorreu após protestos e polêmicas sobre o assunto em Roraima.

O aumento anunciado pelo governo federal na última quinta já é mais que o dobro da redução gradativa anunciada por Denarium.

A reportagem entrou em contato com o governo de Roraima que por meio de nota disse que “a redução será gradativa de 25% para 17% ao longo de cinco anos. Disse ainda que a alíquota atual do ICMS é considerada a mais baixa do país.