O Principal suspeito de ter matado quatro pessoas em 20 dias é preso

Foto:
Fonte: Folha BV
Por:
Categoria: Extremo Norte TV

O integrante de uma organização criminosa C. E. T. P., de 29 anos, foi preso em flagrante acusado de cometer quatro homicídios em 20 dias Boa Vista. A prisão foi efetuada nessa quarta-feira, 1, horas depois do assassinato de Bryan José de Jesus Hernandez Bestardo, de 30 anos, ocorrido no início da tarde do último dia 31.

A prisão foi efetuada por policiais civis lotados na Delegacia Geral de Homicídios (DGH) e Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). O principal suspeito do crime foi preso logo após sair do Posto de Recepção e Acolhimento da Operação Acolhida, próximo à Rodoviária Federal. O diretor do DHPP, delegado Marcos Lázaro informou que a prisão dele foi tumultuada, pois o suspeito incitou outros venezuelanos a atacar os policiais. Foi necessário solicitar apoio e reforço de várias unidades da Polícia Civil, ocasião em que a situação foi controlada e ele preso.

Com as diligências para esclarecer o assassinato de Bryan José, a Polícia Civil esclareceu mais três assassinatos. Todos os crimes são apontados a C. E. T. P., com o apoio de mais três venezuelanos que estão sendo investigados.

CONHEÇA QUEM FORAM AS VÍTIMAS DO GRUPO

No dia 11 de maio deste ano, o casal Yris Mar Vargas Blanco e Jorge Luiz Alfairo Mata, foram encontrados mortos, decapitados. Militares do Exército que atuam na Operação Acolhida, receberam a informação de que uma mulher foi vista sendo levada por vários homens, para trás do Abrigo Rondon 5. Foram feitas buscas no local e, logo depois, foram encontrados os corpos da adolescente Yris Mar Vargas Blanco, de 17 anos e de Jorge Luiz Alfairo Mata, de 36 anos. Os corpos estavam enrolados em lençóis e decapitados. Próximo aos corpos foram encontradas algumas poças de sangue e um alicate de pressão. Também, uma motocicleta com restrição de furto ou roubo.

Por volta das 19h20, do dia 29 de maio, o colombiano Diego Leon Hernandez Castaneda, de 60 anos, apelidado de “Colombiano”, foi atingido por disparo de arma fogo, na Rua Santa Maria, no bairro Treze de Setembro. A vítima foi atingida com um tiro na garganta e encaminhada ao Pronto Socorro, onde chegou a receber cuidados médicos, mas morreu logo depois.

A quarta vítima foi Bryan José, ocorrido no dia 31 de maio, no bairro Treze de Setembro.

AS INVESTIGAÇÕES – O diretor do DHPP esclareceu que as investigações apontam que C. E. T. P., faz parte de uma organização criminosa venezuelana, envolvida com o tráfico de drogas, sequestros e assassinatos. Todos os integrantes da organização ligadas diretamente às execuções dessas quatro pessoas foram identificadas pelos policiais e há diligências em andamento para localizá-las e prendê-las. Ao ser interrogado, C. E. T. P., negou a autoria do crime, mesmo sendo apresentado os vídeos que o evidenciavam como um dos autores do crime.

Contra ele foi lavrado um APF (Auto de Prisão em Flagrante), por homicídio qualificado pela traição ou emboscada, ou mediante outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido. Além de resistência, durante sua prisão. Ele foi apresentado em Audiência de Custódia na manhã de ontem. O APF foi homologado pela Justiça, que decretou a prisão preventiva do acusado.

O diretor adiantou ainda que “novas prisões poderão ocorrer a qualquer momento, conforme o aprofundamento das investigações e das diligência que estão em andamento”, disse.