Paciente denuncia falta de médicos no Pronto Atendimento Cosme e Silva, em Boa Vista

Foto: Reprodução
Sesau afirmou que a escala de plantão do fim de semana contava com oito médicos. Três saíram para atender emergência na unidade
Por:
Categoria: Roraima

Um paciente, que preferiu não se identificar, gravou um vídeo no Pronto Atendimento Cosme e Silva na madrugada desta segunda-feira (30) para mostrar que não havia nenhum médico para fazer atendimento na unidade.

Na filmagem, que ocorreu por volta das 5h, o paciente abriu as portas dos quatro consultórios para mostrar que não havia profissionais no local.

O homem disse que não conseguia dormir devido às fortes dores que sentia por causa de um tumor no rosto. Ao chegar no Hospital Geral de Roraima (HGR) recebeu a informação de que o atendimento dele seria pelo Cosme e Silva.

Ele se dirigiu ao local, fez a ficha, mas devido a demora no atendimento, resolveu conferir e constatou que não havia nenhum médico nos consultórios.

Conforme o denunciante, a informação era de que o único médico que estava no atendimento havia saído para atender uma emergência. Contudo, não voltou mais.

“Já era 5h da manhã e tinha vários pacientes e não voltou mais [o médico]. Procurei a administração, procurei a gestão e nada. Não tem ninguém. Não tem ninguém pra responder praticamente nada. E então eu resolvi filmar”, relatou.

Além disso, o paciente ressaltou que o serviço público não é de graça, pois os cidadãos pagam impostos para receberem retorno nos serviços públicos.

“As pessoas falam ali: ‘é de graça”. Mas aquilo não é de graça, cara. O médico ali não é de graça nós. Isso tudo está embutido nos impostos que nós pagamos no arroz, no feijão, na caixa de fósforo, né? Tudo que a gente compra, isso tá embutido. Aí algumas pessoas têm o entendimento de que é de graça. Isso não é de graça. É um dinheiro que a gente paga”, desabafou.

Paciente voltou para casa sem atendimento

Apesar de ter procurado a direção do hospital ou qualquer funcionário para tirar as dúvidas, o paciente voltou para casa sem atendimento.

“E eu saí às 3h. Três horas não. Eu saí 5h10. Três horas foi o horário que eu cheguei. E às 5h10, não fui atendido, né? E não obtive nenhuma resposta de ninguém lá dentro. Não tem ninguém. E fui embora para casa simplesmente doente e com o ouvido, com o rosto (porque o tumor é próximo ao ouvido) e com o rosto muito muito inflamado, muito ruim. Ou seja, os meus impostos não estão valendo nada, praticamente nada”, desabafou novamente.

Outro lado

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) afirmou que, ao tomar conhecimento da reclamação, determinou à direção geral do Pronto Atendimento Cosme e Silva que adotasse todas as medidas cabíveis relacionadas ao caso.

Esclarece ainda que durante os finais de semana, a escala de plantão contava com oito médicos, com revezamento de descanso a partir das 00h.

Por fim, disse que durante a gravação do vídeo, três profissionais do plantão que estavam no horário foram deslocados para uma intercorrência médica na sala de emergência da unidade, ocasionando a interrupção momentânea dos serviços de atendimentos normais.