Pai de aluno denuncia falta de professores em escola do Governo

Foto: Reprodução
Conforme o denunciante, os estudantes estão sem aula de matemática, português, química, física e biologia
Por:
Categoria: Extremo Norte TV

O pai de um aluno da Escola Estadual Monteiro Lobato denunciou nesta segunda-feira (14) à reportagem a falta de cinco professores na unidade.

Conforme o denunciante, os estudantes estão sem aula de matemática, português, química, física e biologia. A situação ocorre desde o dia 9 deste mês, mesmo dia do início das aulas na rede estadual.

O homem explica que o filho, que cursa o ensino médio, atravessa a cidade para ir até a escola, localizada no Centro de Boa Vista.

“Moramos no bairro Professora Araceli Souto Maior. Meu filho precisa ir de ônibus até o Centro para poder chegar à escola as 7h30. Ele fica aguardando a aula, mas desde a última quarta-feira ninguém soluciona esse problema. Na sexta-feira, por exemplo, ele teve apenas uma aula”, disse.

‘Por falta de professores’

Além disso, o denunciante relatou  que teme que o filho não passe no vestibular por causa da falta de professores.

“Essa situação é prejudicial ao meu filho. Ele vai fazer vestibular e precisa dessas aulas. Qual a condição de um aluno sem ter aula tem de enfrentar um vestibular?”, lamenta.

O homem também reclama a merenda servida aos estudantes, sendo esta mingau de arroz. Ele afirma que nenhum aluno come e a merenda acaba indo para lixo.

“Eles dizem que estão servindo comida de primeira categoria, pelo menos na propaganda”. Dessa forma, o ele solicita uma resposta do Governo do Estado.

“Espero que o Governo haja de forma honesta, pois houve um concurso onde mais de 300 professores foram selecionados. Então por que continuam faltando servidores? É ilógico. Ele vai para a televisão e diz que está tudo bem, mas na verdade não existem esses professores”.

Governo

A Secretaria de Educação e Desporto (Seed) informou que priorizou na lotação nas escoals os professores concursados que necessitavam entrar em exercício em razão do cumprimento dos prazos legais.

Disse ainda que as demandas encaminhadas pelos gestores como a falta de docentes serão atendidas nos próximos dias com o início dos demais procedimentos de lotação, incluindo ajustes em função de transferências, remoções e redimensionamento da rede.

Sobre a merenda, a secretaria afirmou que a denúncia não procede. Disse ainda que até o momento a escola não serviu mingau de arroz.