Sem trabalhar, maquiadora da primeira- dama do estado já recebeu mais de R$ 183 mil da Sesau

Foto: O poder
Maquiadora é apontada com ''funcionária fantasma'' por outros servidores.
Fonte: O poder
Por: Alik Menezes
Categoria: Extremo Norte TV

Apontada como ”funcionária fantasma” por servidores efetivos do estado a maquiadora da primeira dama, Simone Denarium , identificada como Suene da Silva Dias recebeu , ao longo de quase três anos, um total de R$ 183.30,25 de salários em cargo comissionado.

Os salários pagos a ”  apadrinhada” da esposa do governador de Roraima Antonio Denarium (PP), causam revolta entre os funcionários concursados, que afirmam que ela ”nunca pisa” no local de trabalho para desempenhar suas funções.

Em fevereiro deste ano a reportagem recebeu denúncias de que Suene seria funcionária fantasma sob proteção da primeira-dama do estado. Conforme os servidores, Simone Denarium ‘arrumou’ um cargo em 2019 para a maquiadora pessoal e garantiu que a ‘servidora’ comissionada fosse promovida, em 2021, para um cargo com remuneração de quase r$ 7 mil mensal.

Suene da Silva Dias é lotada no HGR desde junho de 2021. No cargo comissionado, a amiga da primeira-dama possui remuneração  bruta de R$ 6.771,74, sendo R$ 5.209,03 de salário, r$ 1.458,53 GETS e mais R$ 104,18 de GETS -004.

Ao longo de quase três anos que é comissionada no governo Deanrium, conforme apuração da reportagem, Suene já recebeu do Estado um total de R$ 183.303,25.

De junho de 2019 a maio de 2021, Suene tinha salário bruto de R$4.180,25, mas a partir de julho do ano passado começou a receber salário de R$ 6.771,74. No entanto, em alguns meses, levando em consideração algumas gratificações, Suene chegou a embolsar até 9.251,24.

Indignação

Conforme relatos de funcionários efetivos da Sesau, Suene foi vista poucas vezes no local onde deveria prestar expediente, o Hospital Geral de Roraima. Segundo eles, uma dessas ocasiões foi quando a reportagem publicou a denúncia.

”Ninguém sabe, ninguém vê. Ela não aparece, não trabalha. A única vez que eu já vi foi quando ela foi denunciada , estava lá se acabando em choro como se estivesse sido injustiçada, mas ela não trabalha. É mais uma protegida da mulher do governador”, desabafou um servidor, que pediu para não ser identificado temendo mais perseguições.

Mais ”fantasmas”

Em fevereiro, após denunciarem a maquiadora da primeira-dama, efetivos do Hospital Geral de Roraima escancararam mais um ”fantasma” na quadra da Sesau. Segundo eles, outro beneficiado pela influência de Simone Denarium é Rubem Lopes de Almeida, ningúem mens que um sobrinho da amiga e maquiadora pessoal da primeira-dama.

Conforme pesquisa da reportagem no portal do Diário Oficial do Governo de Roraima, Rubem foi nomeado no dia 14 de junho de 2021. A nomeação de Rubem ocorreu no mesmo dia que a maquiadora e cabeleira pessoal da primeira-dama foi promovida ao cargo de gerente de Ensino e Pesquisa HGR.

No site da Transparência, consta que Rubem Lopes de Almeida ocupa cargo CDS/comissionado, nível 1 com remuneração bruta de R$ 2.602,52. Ele é lotado no Núcleo de Oncologia do HGR, subordinado direto da Direção Geral.

Mais um salário ”robusto”

Em março, a reportagem recebeu nova denúncia apontando mais uma funcionária fantasma. Desta vez servidores públicos apontaram Cláudia Aparecida de Araújo Pinheiro, ex-esposa do empresário Airton Cascavel, com0 funcionária que não aprece para trabalhar e ganha salário de R$ 16 mil.

Com remuneração bruta de R$16 mil, a ex- esposa do empresário Airton Cascavel, Cláudia Aparecida de Araújo Pinheiro foi nomeada para cargo de gestora do Escritório de Representação do governo de Roraima em Manaus.

Conforme os denunciantes, Cláudia que é empresária no ramo de Fast Food, deveria atuar no escritório de Representação do governo de Roraima em Manaus, no Estado do Amazonas, mas segundo eles, não aparece para trabalhar.

Ainda conforme a denúncia, a nomeação de Cláudia teria sido uma negociação entre o governador e o ex- marido de Cláudia, o empresário ex secretário de Saúde Airton Cascavel, que foi exonerado do cargo ano passado.

Silêncio

Após receber as denúncias, a reportagem procurou o governo de Roraima para questionar se haveria uma investigação ou se esses ”funcionários” seriam exonerados das funções, mas em nenhuma das ocasiões, o governo se manifestou.

Fake news?

Em uma única vez que falou sobre o caso envolvendo a primeira-dama publicamente, o governador de Roraima, Antonio Denarium (PP), partiu para o ataque, em uma entrevista de rádio, e afirmou que eram acusações covardes de seus adversários.

E o gabinete do Ódio?

Por falar em fake news, o governo do Estado foi denunciado por servidores efetivos de manter um ”Gabinete do Ódio” dentro da própria estrutura pública para arquitetar e promover ataques aos adversários do governador. Questionado sobre a denúncia, o governo também se manteve em silêncio.