Tenente-coronel da PM atira na rua e quebra janela de carro de motorista de aplicativo em RR

Foto: Reprodução G1
tenente-coronel da Polícia Militar, deu dois disparos com arma de fogo após dançar no meio da rua. Ele é réu em duas ações penais e investigado em outras duas. A defesa descreveu os disparos e o golpe na janela do carro do motorista como "reações imediatas do militar".
Fonte: G1 Roraima
Por:
Categoria: Extremo Norte TV


O tenente-coronel e chefe do Departamento de Planejamento Operacional (DPO) da Polícia Militar Brunno Almeida Nascimento, quebrou a janela de um carro de motorista de aplicativo e atirou com uma arma de fogo duas vezes, no bairro Centenário, em Boa Vista. Vídeos de câmeras de segurança mostram o momento.

A reportagem, a defesa do tenente informou que “tudo não passou de um mal entendido, ocasionado pela forma que o veículo foi encontrado em frente” a casa de Brunno Almeida (entenda mais abaixo). O governo de Roraima, que é responsável pela Polícia Militar, também foi procurado pela reportagem, mas não se posicionou até a publicação.

O carro estava estacionado na rua, momento em que o tenente-coronel sai de uma casa e dá dois disparos com arma de fogo e em seguida quebra o vidro do carro em que o motorista trabalhava. O caso ocorreu no último dia 4 de janeiro.

Devido à confusão, uma vizinha acionou a Polícia Militar. No relatório da PM consta que os envolvidos tiveram uma discussão. Uma fonte ouvida pela Rede Amazônica disse que a suspeita é que o policial estava embriagado.

Além de estar envolvido na confusão, Brunno Almeida é réu em duas ações penais: uma por estupro e outra por disparo de arma de fogo e violência doméstica. O policial ainda é investigado por tentativa de homicídio e violência doméstica.

Em 2016, ele deu tiros na vila onde a ex-namorada residia depois de uma briga com agressões físicas. Já em 2020, disparou seis vezes contra um dono de uma sorveteria, em Bonfim. As balas atingiram uma porta de ferro, após a vítima correr e se esconder no estabelecimento.

“Ele aparentava estar bastante embriagado ou drogado”, disse o proprietário em depoimento à época, conforme o inquérito policial que a Rede Amazônica teve acesso.

O tenente-coronel chegou a responder sindicância na Corregedoria da Polícia Militar por um dos crimes. Procurada, a PM não respondeu quais processos administrativos, o que ficou decidido e nem se já encerraram.

Nas imagens é possível ver o momento em que o chefe da DPO sai de seu carro, já armado e vai de encontro ao motorista. Ele começa a dançar no meio da rua e em seguida dá dois disparos com a arma em direção ao asfalto.

Após quebrar o vidro do carro, o motorista sai do veículo com um celular na mão filmando o tenente-coronel. Em nenhum momento da discussão o militar larga a arma.

A defesa disse que o fato do carro ter vidro fumê e nunca tê-lo visto pelas redondezas levantou suspeitas por parte do tenente-coronel. O advogado descreveu os disparos e o golpe na janela do carro do motorista como “reações imediatas do militar” e destacou que o “mal-entendido” foi resolvido “de imediato” com um “acordo com o condutor com a integral reparação dos danos causados”.

Apesar das ações penais em andamento em que ele é réu, e as investigações policiais, a defesa destacou que Brunno Almeida tem “reputação ilibada, tendo mais de uma década de bons serviços prestados à sociedade roraimense, sem jamais ter sido condenado em qualquer processo judicial ou mesmo punido em procedimento administrativo”.

A PM informou ainda que realizou investigações, “mas não conseguiu localizar o suposto infrator”. O caso foi registrado na Central de Flagrantes.