Terceirizados da Maternidade iniciam greve por falta de pagamento

Foto: Roraima em Tempo
Empresa União pertence a parentes do senador Mecias de Jesus e já foi investigada na CPI da Saúde
Por:
Categoria: Roraima

Servidores terceirizados da maternidade Nossa Senhora de Nazareth, em Boa Vista, entraram em greve nessa terça-feira (12) por falta de pagamento dos salários.

Conforme o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Prestadoras de Serviços de Obras de Roraima (Siemaco), Alexandre Grossi, os atrasos ocorrem desde janeiro.

“Mais uma vez estamos paralisando o trabalho dos trabalhadores da empresa terceirizada aqui da maternidade. Esses atrasos estão ocorrendo desde janeiro. A empresa vem pagando com atraso todos os meses. O mês passado ela conseguiu efetuar o pagamento no dia 23 e agora no mês de abril estamos até a seguinte data sem pagamento”, disse.

Grossi afirmou que a União Comércio e Serviços LTDA argumentou que a Secretaria de Saúde (Sesau) ainda não realizou o pagamento. Por isso, os trabalhadores estão desde o 5º dia útil sem receber os salários.

Além disso, ele relatou que o atraso está prejudicando os funcionários.

“Está ocasionando transtornos para os trabalhadores. Trabalhadores já não têm mais dinheiro para fazer compra. Não têm dinheiro para pagar água e luz. Alguns deles já perderam até o seu imóvel. Foram despejados por falta de pagamento de aluguel. Então a empresa vem ocasionando diversos transtornos aos trabalhadores. Toda vez que a gente pergunta para a empresa o que está acontecendo, é a mesma coisa. Eles sempre falam que é por falta de pagamento da Secretaria de Saúde”, afirmou.

Não é a primeira vez

Anteriormente, em outubro de 2021, os funcionários da União denunciaram ao Roraima em Tempo o atraso de quase três meses no pagamento dos salários.

A empresa

A União Comércio e Serviços Ltda tem como sócios os irmãos Gilmar Pereira de Araújo e Antônia Pereira de Araújo. Eles são parentes diretos do senador Mecias de Jesus (Republicanos).

De acordo com denúncia enviada à redação os irmãos Gilmar e Antônia Pereira de Araújo mantêm uma vida muito simples, que não condiz com o volume de dinheiro recebido pela empresa.

Em reportagem publicada em dezembro de 2018, o Roraima em Tempo mostrou que Gilmar residia em São João da Baliza. Além disso, ele vivia, na época, da atividade agropecuária. Em uma das fotos encaminhadas à redação, é possível ver sua esposa almoçando em uma residência muito humilde.

O mesmo acontecia com a sócia Antônia Pereira que residia em uma casa simples no bairro Cambará.

Por outro lado, pesquisas feitas no Diário Oficial do Estado (DOE) mostram que a empresa pode ter recebido mais de R$ 100 milhões entre 2014 e 2020 do governo.

Nesse período, Mecias era aliado da então governadora Suely Campos. Mas depois passou a apoiar Antonio Denarium (PP) que foi eleito governador em 2018.

Empresa investigada

A firma mantém contrato com a Sesau e acabou sendo investigada na CPI da Saúde. É que ela já tinha contrato firmado para limpeza da maternidade desde 2016. No entanto, no DOE de 30 de abril de 2020, constava um termo aditivo que permitia que a empresa recebesse mais R$ 5 milhões para realizar o mesmo serviço.

Desse modo, a investigação desse contrato, inclusive, contribuiu para um pedido de impeachment do governador Antônio Denarium.

Sesau

Em nota a Sesau respondeu que pagou as notas de fevereiro e março para a União. Para o mês de março, a empresa não enviou as notas, o que impede o pagamento.

Sobre a limpeza da maternidade a secretaria disse que está sendo realizada “normalmente, uma vez que o serviço é essencial para o funcionamento da unidade, e que por lei não pode ser paralisado em sua totalidade.